slogan


A atitude é nossa.
A consciência é de todos!

domingo, 20 de agosto de 2017

REFLEXÕES SOBRE FÓRUM LIXO ZERO – POA


Na ultima quinta-feira dia 10 de agosto, voluntária do IEATA participou do 2° Fórum Municipal Lixo Zero em Porto Alegre, esse que tem por finalidade enaltecer, gratificar e mostrar organizações, projetos ou indivíduos locais que sejam referência ou tenham influência no meio dos resíduos sólidos, pois acredita que a mudança acontece através do exemplo!
O Instituto Lixo Zero Brasil traz o conceito de “Lixo Zero” como sendo uma abordagem circular de planejamento e gestão com ênfase na prevenção da geração de resíduos sólidos, mas ressalta que se não foi possível evitar a produção, precisamos desviar a destinação de aterro e incineração, pois todo lixo é um erro de design e precisa ser revisto.

Entre alguns painelistas trazidos pelo evento estavam:
§  JhonWurdig do Centro Universitário Ritter dos Reis (Unirriter) representando o projeto ECO Educadores idealizado por um grupo de estudantes do curso de Engenharia Ambiental e Sanitária que tem por objetivo estimular a atuação de agentes de transformação da realidade socioambiental da comunidade;


§  O Instituto Instituto Villaget de Novo Hamburgo-RS, que fabrica tênis com materiais reutilizados ou orgânicos;

§  Instituto Rede Criar, que produz Jóias a partir da reutilização de embalagens de shampoos e produtos de limpeza;

§  Cooperativa Paulo Freire apresentando sua forma de atuação na reciclagem de resíduos eletrônicos;

§  Empresa Re-Ciclo que realiza a coleta de resíduos orgânicos de porta em porta utilizando bicicletas; entre outras empresas referência na região.

No evento estava presente também o presidente do Instituto Lixo Zero Brasil, Sr. Rodrigo Sabatini que deixou a linda mensagem que “Ser Lixo Zero é uma meta, responsabilidade, ética, comportamento e estilo de vida que entende que algo que seria descartado pode servir para outro, se e eu, ao invés de descartar, destinar corretamente meus resíduos”.


Por: Júlia Vanin de Morais
 Estudante do IX Nível de Engenharia Ambiental 
Universidade de Passo Fundo (UPF), 
Voluntária do IEATA  
14.08.17.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

EXCURSÕES NA MATA ATLÂNTICA – UM OLHAR SOCIOAMBIENTAL E DE GÊNERO


O IEATA é uma organização não governamental e sem fins lucrativos, que atuam na preservação e conservação da Mata Atlântica e ecossistemas costeiros. O Projeto Expedições Na Mata tem o intuito de trabalhar a Educação Ambiental, fomentando a preservação e conservação da mata, seus ecossistemas hídricos e costeiros, bem como da riqueza cultural que a compõe, através do uso adequado das Trilhas e Caminhos Ecológicos. Os recursos arrecadados são revertidos para a execução das atividades desenvolvidas, como revitalização, monitoramento e pesquisa das Trilhas e Caminhos Ecológicos em Florianópolis e discussão sobre geração de renda através do ecoturismo comunitário. O IEATA propõe desenvolver/organizar roteiros nas trilhas e caminhos ecológicos da Ilha de Santa Catarina com o viés de denunciar e reafirmar o direito de ocupação das mulheres nos diferentes espaços. Lembrando que mesmo nos dias atuais a Mata é um espaço que configura mistérios e perigo, contrapondo com bruxaria, domínio do conhecimento e sobrevivência da humanidade. Para a realização dos guiamentos o IEATA dispõe de uma equipe formada por sua maioria de mulheres, inclusive sua Diretora Executiva – sócia fundadora da Instituição, que está à frente da luta para a preservação e conservação da Mata Atlântica, recursos hídricos e ecossistemas costeiros. O grupo de guias, profissionais capacitados para atuar nas trilhas Caminhos Ecológicos e Culturais, tem a responsabilidade de cuidar e utilizar de forma adequada, expondo no percurso falas referentes às principais lutas feministas no âmbito ambiental e suas representantes.
Para tanto organizou junto a Equipe de Roteiros de Visitas da Evento - Mundo de Mulheres, roteiros nas Trilha e Caminhos Ecológicos.


Recomendações básicas:
·         Use roupas leves e adequadas para a atividade: tênis, óculos escuros, boné, filtro solar e repelente;
·         Levar comidas leves (frutas, barrinhas de cereal, sanduíches), e água;
·         Seguir sempre a orientação do guia, evitando acidentes, inclusive com animais peçonhentos;
·         Informar caso tenha alergias a picadas de insetos ou plantas.



Conheça Nossos  Roteiros!





Gratidão!

Texto: Mariléia Sauer
Bióloga/Ed. Ambiental


segunda-feira, 10 de julho de 2017

Limpeza de Atitude 2017 - Edição Praia Brava


A Ação "Limpeza de Atitude" dos ecossistemas costeiros é uma forma de mobilizar toda a comunidade e o governo para o grave quadro de poluição por resíduos sólidos em nossas praias. Ao mesmo tempo retira o máximo possível de resíduos destes ambientes em especial do micro-lixo ou seja a coleta dos “lixinhos” que a maioria das pessoas acha que não vai fazer diferença, como papéis de bala, tampas de garrafas, canudos, palitos de picolé e pirulito, goma de mascar, bitucas de cigarro, embalagens plásticas e de cigarro, anéis de latinha, cacos de vidro, entre outros resíduos e todo o restante de lixo que se encontra na rua, nos gramados que entopem bueiros gerando enchentes e morte da fauna aquática.

Data: 15 de julho de 2017.

Ponto de Encontro: Canto esquerdo da Praia Brava - Norte da Ilha, Floripa. 

Traga sua garrafa de água! Boné, protetor solar!

Além da ação de coleta dos Resíduos a Galera da Organização estará realizando:
- Corrida esportiva e, treino funcional com as crianças;

- Atividade de Educação Ambiental;
Resultado de imagem para simbolos emoticons bloger

Venha fazer parte deste movimento!
A Mãe Natureza Agradece!





sexta-feira, 23 de junho de 2017

CONTATO


Mariléia Sauer – Bióloga e Educadora Ambiental
Diretora Executiva
ž (48) 999028774

žEndereço: Av. Luiz Boiteux Piazza, 4810, Ponta das Canas. Florianópolis – SC. CEP: 88056-680.

Galeria de Fotos





Para Inspirar!

Mutirão Limpeza Praia Ponta das Canas!

Pé da trilha Morro do Rapa!
Pé da trilha Lagoinha do Leste - Parque Natural Lagoinha do Leste

Colocação das Placas Educativas Trilha Morro do Rapa - Norte da Ilha

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Potes de Gratidão!


 Gratidão deixa o coração mais saudável    

Pesquisa indica que a gratidão envolve identificar e valorizar os aspectos positivos da vida. Ter um coração grato é sinônimo de ter um coração saudável. Esta é a conclusão de um grupo de pesquisadores da Associação Americana de Psicologia chegou após realizar um estudo com 186 pessoas que já tiveram alguma enfermidade cardíaca.
A gratidão está constantemente ligada a aspectos espirituais, no entanto, os especialistas garantem que a espiritualidade por si só não reflete os mesmos efeitos. Para eles, esta não é a única forma de ser grato e de perceber os benefícios deste ato em diferentes áreas. A gratidão envolve identificar e valorizar os aspectos positivos da vida. Ela pode ser atribuída a uma fonte externa, como um animal de estimação, a outra pessoa ou a um ser não-humano.
Pra deixar esta tarefa mais fácil, uma boa opção é criar um “Pote da Gratidão”. Este é um projeto muito simples, mas com o potencial para transformar a sua vida. A ideia por trás do objeto é tornar a gratidão parte da rotina, deixar visível todas as razões pelas quais podemos ser gratos e mostrar que, independente das dificuldades e problemas, sempre existem motivos para reacender a alegria dentro de cada um.
O “Pote da Gratidão” não tem uma norma quanto ao formato. Basta escolher um vasilhame grande, pode ser um pode de vidro reaproveitado, e decorá-lo com quiser, lembrando que é essencial que ele tenha a palavra “gratidão” estampada e bem visível.
Além de ser uma pratica saudável para o planeta terra, pois a reciclagem do vidro é de extrema importância para o meio ambiente. Quando reciclamos o vidro ou compramos vidro reciclado estamos contribuindo com o meio ambiente, pois este material deixa de ir para os aterros sanitários ou para a natureza (rios, lagos, solo, matas).
Não podemos esquecer também, que a reciclagem de vidro gera renda para milhares de pessoas no Brasil que atuam, principalmente, em cooperativas de catadores e recicladores de vidro e outros materiais reciclados. Sendo que a principal matéria-prima usada na produção de todos os tipos de vidro é a sílica (dióxido de silício). E um detalhe importante, o tempo de duração de um vidro é indeterminado!
No Brasil, 47% do vidro é reciclado e volta para a cadeia produtiva (dado relativo ao ano de 2012). O grupo de artesãs do IEATA, faz parte desta estatística, pois está produzindo  os potes de gratidão, reciclando vidros e gerando renda para o grupo, bem como para a realização dos Projetos que estão sendo desenvolvido.

Fonte pesquisada:
http://ciclovivo.com.br/noticia/aprenda-a-fazer-um-pote-da-gratidao/


Texto: Mariléia Sauer - Bióloga e Ed Ambiental

segunda-feira, 5 de junho de 2017

VIII Seminário de Educação Ambiental


2017 - Ano do Turismo Sustentável 


Na última sexta-feira, dia 02 de junho de 2017, a equipe do IEATA  - Instituto de Estudos Ambientais Trilheiros de Atitude, Daina do Amaral, Mariléia Sauer, e Julia Vanin, participaram do VIII SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL na ALESC - Assembléia Legislativa de Santa Catarina, em Florianópolis, organizado pelo Grupo GTEA RH08, com foco em "Turismo Sustentável" haja vista que 2017 foi classificado pela ONU como: “Ano do Turismo Sustentável”.
Um evento composto por palestras e mesas de debate ministradas por educadores, pesquisadores, autoridades públicas, líderes e participantes de instituições voluntárias direcionadas à proteção e conservação do meio ambiente, representantes da comunidade que vivem de renda oriunda do turismo e um público de diferentes níveis de conhecimento, proporcionou a todos os presentes uma troca de múltiplas experiências e manteve todos envolvidos num único assunto "Desenvolvimento Econômico Sustentável".
Mediante distinção dos conceitos de Turismo de Massa (fuga do estresse da realidade) e Turismo Sustentável (peregrinação para contemplação do belo), diferentes dados foram postos em pauta comprovando os benefícios e vantagens do último citado.

Pesquisas revelam que Trilhas e UC (Unidades de Conservação) recebem anualmente cerca de 8 bilhões de visitantes, que gastam, nessa atividade, mais de R$600 bilhões ao ano, tornando o Turismo responsável por 10% do PIB econômico e, ainda assim, visto como inviável ao poder público, pois é analisado através da comparação de apenas dois parâmetros: INVESTIMENTO💰 x ARRECADAÇÃO💸 . Outrora analisado adequadamente, ou seja, levando em consideração todos os parâmetros envolvidos, inclusive os de impactos indiretos (empregos, renda, vendas, economia e melhora da qualidade de vida), mostraram que oferecem 20 vezes mais ganhos do que apenas o valor arrecadado, retornando R$ 7,00 de arrecadação à cada R$ 1,00 investido.📈💵👍🏼
O Turismo é a integração de Atividade + Ambiente + Experiência + Benefícios, que permite a propagação da Educação Ambiental de forma recreativa, pois dispensa a formalidade e monotonia das salas de aula convencionais. Além disso, ao contrário do que se pensava, quando praticada de forma sustentável e planejada, a visitação a Unidades de Conservação (UC's) e Áreas de Proteção (AP's) não é uma atividade potencialmente degradadora, mas sim uma pratica que previne e protege as áreas de queimadas, caça ilegal, conflitos e invasões e por isso vem ganhando força e incentivo.

Dentro da Ilha de Florianópolis, segundo Talita Góes, representante e integrante do Programa "Roteiros do Ambiente", 34 trilhas das mais de 100 existentes já foram resgataras e melhoradas pelo programa que visa recuperar caminhos, antigamente utilizados para engenho, que foram fechados devido ao crescimento exponencial da urbanização.
Da mesma forma o "Movimento Borandá" através do projeto "Caminho da Mata Atlântica" está atuando na estruturação de 3.000 km de trilha, que vai desde o Parque Aparados da Serra (SC) até o Rio de Janeiro (RJ), abrangendo cerca de 45 parques, no intuito de que toda comunidade possa conhecer e adorar a mata de forma segura e sustentável e viver boas experiências durante o trajeto.
Equipe organizadora do GTEA, de Florianópolis/SC, coordenado por Silvane Dalpiaz do Carmo FLORAM.

Juntando-se em defesa da mesma causa, educadores e outros grupos da região (IEATA, Route, ICMBio, Çarakura, etc.) apoiam esses projetos e  desenvolvem outras ações para compartilhar conhecimentos e propagar boas práticas ambientais na busca  de um Mundo Melhor! 🌍 💚 ♻️


Júlia Vanin de Morais - Estudante de Engenharia Ambiental (UPF), voluntária da equipe IEATA.